Governo do Estado e Cisbaf unem forças na urgência

Gestores, coordenação estadual das UPAs, diretores de hospitais, coordenadores das Unidades Pré-Hospitalares (UPH) e das Unidades de Pronto-Atendimento (UPA), além de técnicos e da equipe do Cisbaf se reuniram na manhã desta quarta-feira (12), com o propósito de apresentar a organização e o planejamento operacional da central de regulação dos pacientes críticos entre unidades. A nova atribuição do consórcio funcionará em sintonia com a já existente Central de Regulação SAMU 192 Baixada Fluminense. O encontro, ocorrido na sede do Cisbaf, foi solicitado e conduzido pela coordenadora das Unidades Pré-Hospitalares da SES-RJ, Ana Cristina Murai.

A secretária executiva do Cisbaf, Rosangela Bello, falou da grade de referências aprovada na CIB – Comissão Intergestores Bipartite em setembro do ano passado, assim como fez um breve resumo das reuniões anteriores que pactuaram as unidades de saúde de urgência e emergência que serão referência conforme o agravo de saúde.

Na prática, a central de regulação de pacientes críticos adotará o seguinte fluxo: os serviços de saúde com porta de entrada de urgência solicitam o suporte para paciente através da regulação (as Unidades Básicas continuarão a utilizar o serviço do SAMU 192); o médico regulador fará uma avaliação do quadro clínico e da demanda em caso de urgência. No caso de o paciente estar desassistido na unidade sem o suporte mínimo necessário, ele será encaminhado para outra unidade de saúde com mais recurso tecnológico e disponibilidade por meio da regulação, a fim de que seu quadro não se agrave. Caso o médico regulador identifique não ser uma urgência, o mesmo justifica, faz o devido esclarecimento junto à unidade solicitante e finaliza o evento.

– O objetivo da central é organizar, classificar de maneira mais assertiva e priorizar a assistência ao paciente no caso de urgência que não estiver recebendo os cuidados mínimos para a manutenção da sua vida. Para isso, a central de regulação de pacientes críticos irá dispor de um sistema de gestão e um grande painel onde fará o monitoramento, em tempo real, da capacidade instalada de todas as unidades com portas abertas para a urgência e a emergência. Daí a importância de contarmos com a colaboração permanente de todas as equipes que atuam nos hospitais, UPHs e UPAs – explica Bello.

Participaram também da reunião o subsecretário de Planejamento de Nova Iguaçu, Christian Ferreira, o diretor geral do HGNI, Joé Sestello, a diretora do Hospital Municipal Moacyr do Carmo, Célia Serra, a diretora Técnica do Cisbaf, Márcia Cristina Ribeiro, diretores de hospitais, coordenadores das unidades de urgência e emergência e técnicos da saúde.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.