Idosa de 86 anos vence a covid-19 após  tratamento em hospital de Belford Roxo

Após 23 dias internada no Hospital Fluminense, em Areia Branca, para o tratamento da covid-19, Ruth Lopes da Silva, 86 anos, recebeu alta e já está em casa ao lado da família.

Antes de ser diagnosticada com novo coronavírus, Ruth já teve Acidente Vascular Cerebral (AVC) e trombose que resultou na amputação de uma de suas pernas. Além disso, ela é hipertensa e cardiopata. Mesmo com esse histórico, ela conseguiu vencer a doença com o tratamento oferecido pela rede pública de Belford Roxo.

As filhas Solange e Sônia Cristina estavam ansiosas à espera de Ruth com cartazes na saída da unidade. Solange explicou como a mãe chegou ao Hospital. “Os sintomas começaram em casa, com falta de ar e tosse. A levamos para o Hospital Municipal onde fez uma tomografia do pulmão mostrando 50% comprometido. Ela ficou no oxigênio e em observação tomando medicação. Em meio a isso tudo ela também estava com a pressão e glicose alta. Teve acompanhamento médico e depois recebeu alta. Mas, depois de uma semana piorou. Então retornamos à unidade onde fomos encaminhados para o Hospital Fluminense. Depois de uma consulta ela deu entrada no CTI”, destacou.

“Já estava sem comer e dormir de tanta ansiedade para buscar minha mãe, mas a cada dia que recebíamos notícias dela pelos médicos era um alívio”, resumiu Sônia. “O tratamento dado a ela foi excelente desde o momento que chegou até o dia da alta. Estamos muito agradecidos a equipe do Hospital Fluminense”, comemorou Solange. Para completar a alegria, o neto Márcio José da Silva também estava à espera de Ruth. “Ficamos emocionados por rever minha avó. Não há palavras para agradecer a toda equipe médica. Vencemos a covid-19”, enfatizou.

Destacando que o município tem quatro unidades de pronto-atendimento, sendo que o  tratamento de pacientes com covid-19 ficou centralizado no Hospital Fluminense, no bairro Areia Branca, o secretário Christian Vieira enfatizou que o município tomou uma série de medidas para barrar a proliferação do novo coronavírus. “Distribuímos mais de 100 mil máscaras e estamos fazendo testes rápidos na população. Temos quatro unidades de pronto-atendimento, mas inauguramos ainda o Centro de Tratamento Avançado, que dispõe de 49 leitos de apoio para a covid-19. Está dando tudo certo”, avaliou o secretário.

O médico que atendeu Ruth Lopes no Hospital Fluminense, Maurício Mallet Barretta, disse que a unidade está preparada para receber pacientes com a covid-19. “Eu, particularmente, sempre converso com os pacientes, pois eles ficam um período longo conosco para a recuperação. Então, uma palavra de conforto é importante. É gratificante ver os pacientes se recuperarem, pois sabemos que estamos fazendo um bom trabalho”, concluiu.

Foto: Rafael Barreto/PMBR

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.