Campanha ‘Não dê Carona ao Assédio’ é lançada pelo Detro-RJ e Secretaria da Mulher

A campanha “Não dê Carona ao Assédio” foi lançada, nesta quinta-feira (29/06), selando a parceria entre o Detro-RJ e as secretarias de Transporte e Mobilidade Urbana (Setram) e da Mulher contra a importunação sexual dentro de ônibus e vans intermunicipais. A iniciativa amplia os canais de denúncias e as ações de conscientização da população.

Na cerimônia, o presidente do Detro-RJ, Leonardo Matias, e a secretária de Estado da Mulher, Heloisa Aguiar, assinaram termo de cooperação entre as duas pastas para um trabalho contínuo de enfrentamento ao assédio e à importunação sexual no transporte rodoviário intermunicipal. Também houve o lançamento da Ouvidoria da Mulher, um atendimento específico do Detro-RJ de acolhimento e orientação às mulheres, que vai contar com equipe multidisciplinar formada por psicóloga, assistente social e advogada.

De acordo com o secretário de Estado de Transporte e Mobilidade, Washington Reis, a iniciativa deve ser celebrada por todos os cidadãos. “Essa bela campanha vai deixar um legado para a população do Rio de Janeiro e pode ser repetida por outros estados do Brasil”, disse o secretário. Já a secretária da Mulher, Heloisa Aguiar, afirmou que “essa iniciativa já deu certo. Vamos trabalhar em conjunto por essa causa”, declarou.

A Secretaria da Mulher vai capacitar fiscais do Detro-RJ para abordar, acolher e encaminhar vítimas de importunação sexual para unidades de atendimento especializadas. “Os protocolos serão construídos e todos os funcionários serão treinados. Proteger uma mulher é proteger toda uma família”, disse Heloisa Aguiar.

O presidente do Detro-RJ, Leonardo Matias, contou que a campanha foi idealizada após uma ligação recebida pela ouvidoria, em que o órgão foi questionado sobre o assunto. “A campanha é um alerta. Essa iniciativa e parceria com a Secretaria da Mulher vai ampliar os canais de denúncia e o acolhimento. Todos somos responsáveis e devemos combater o assédio à mulher no transporte. Vamos trabalhar diariamente em conjunto por essa causa”, afirmou o presidente.

A palestrante Fafate Costa, jornalista e pesquisadora sobre áreas de memória social e estudos sobre a mulher, elencou alguns números sobre o assédio no Brasil.

“Dados atuais do Fórum de Segurança Pública apontam que 50 mil mulheres sofrem algum tipo de violência de gênero todos os dias. São 18 milhões por ano! A pesquisa indica: 46,7% das brasileiras foram assediadas, sendo que 12,8% desses casos ocorreram nos transportes públicos e 18,6% no ambiente de trabalho. Nossa sociedade carrega marcas de um machismo histórico e violento que precisa ser olhado de frente com coragem e ações”, declarou a pesquisadora, que tem pós-doutorado na Universidade de Warwick, no Reino Unido.

FOTOS Eliana Carvalho

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.