Queimados é referência no combate ao diabetes
Os kits para verificação de glicose contém agulhas, tiras para teste, seringa e o aparelho medidor
Thiago Loureiro

Ter diabetes mellitus não é algo fácil, mas receber suporte para o tratamento da doença pode ajudar a tornar a vida um pouco mais simples. Em Queimados, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, oferece gratuitamente aos pacientes dependentes de insulina, kits para verificação de glicose contendo agulhas, tiras para teste, seringa e o aparelho medidor (entregue aos pacientes na primeira retirada do material). Ao todo, mais de 800 pacientes se cadastraram no Polo de Distribuição de Insumos para diabéticos e recebem o material mensalmente.

 De acordo com a Secretária da Pasta, Dra. Lívia Guedes, a gestão municipal dá toda a assistência para o tratamento da doença na cidade. “Contamos com um Centro Especializado do Tratamento de Hipertensão e Diabetes e 19 unidades de saúde capacitadas para o atendimento médico desses pacientes. Além disso, disponibilizamos medicamentos, insulina e kit para verificação da glicose em casa gratuitamente. Mas vale ressaltar a importância de adotar um estilo de vida saudável para evitar o desenvolvimento da doença”, explicou a gestora.

Ana Benício (57), que mora no bairro Jardim da Fonte, retirou seu primeiro kit esta semana
Aline Lopes

 A diabetes é uma doença crônica e aparece quando o corpo não produz a quantidade essencial de insulina para que o açúcar do corpo se mantenha normal. Existem dois tipos de diabetes mellitus, que são: Tipo 1, presente em 10% dos diabéticos e na qual o indivíduo produz pouca ou nenhuma insulina e precisa de injeções diárias. Já no tipo 2, que é mais comum depois dos 30 anos em pessoas obesas e idosas, o pâncreas continua a produzir a insulina, mas o organismo se torna resistente aos seus efeitos.

 Diabética há 16 anos, Marly Pereira (58) faz o tratamento regularmente no CETHID e todo mês pega seu kit para verificar os níveis de glicose sem sair de casa. “Já perdi minha mãe por causa desta doença, então faço o máximo que eu posso para cuidar da minha saúde também. Se não tivesse medicamentos, consultas médicas e esse kit gratuitos, não conseguiria custear o tratamento”, afirmou a dona de casa, que reside no bairro São Francisco.

 Já Ana Benício (57), que mora no bairro Jardim da Fonte, retirou seu primeiro kit esta semana. “Tenho diabetes há quatro anos, mas agora que precisei fazer o tratamento com a insulina. Estou muito feliz por receber esses insumos, vão me ajudar bastante a verificar minha glicose e assim, ter um melhor controle da doença para que o quadro não se agrave”, afirmou ela, que faz tratamento na Clínica da Família Miguel Luiz de Carvalho, no bairro onde mora.

Tratamento é referência na região

Os diabéticos dependentes de insulina que queiram receber o kit para verificar a glicose em casa, precisam comparecer ao setor de protocolo na Secretaria Municipal de Saúde (Av. Vereador Marinho Hemetério de Oliveira, 1170, Vila Pacaembu), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, portando identidade, CPF, comprovante de residência, cartão do SUS e laudo médio para fazer o cadastramento.

 Referência na Região Metropolitana do Rio de Janeiro para o tratamento de pacientes hipertensos e/ou diabéticos, o CETHID realiza cerca de 40 mil atendimentos ao mês nas áreas de cardiologista, clínico geral, endocrinologia, angiologia, nefrologia, oftalmologia, neurologia, serviço social, fisioterapia, nutrição, psicologia e fonoaudiologia, além de oferecer exame de ultrassonografia, ecocardiograma, exame laboratorial, exame de raios-X e sala de medicação. Para ter acesso às especialidades é preciso ir até a unidade de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, na Rua Onze, s/nº, Vila Pacaembu. Para mais informações, o CETHID atende pelo (21) 2665-6952.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.