Secretaria de Educação contrata 1.800 profissionais em Belford Roxo

Seguindo todos os protocolos de segurança, a Prefeitura de Belford Roxo convocou nesta quarta-feira (21/04), os 600 aprovados no processo seletivo da Secretaria de Educação nos cargos de auxiliar administrativo e estimulador para assinarem os contratos no Clube de Heliópolis. Na terça-feira (20/04), assinaram os contratos as merendeiras e vigias e na segunda-feira (19/04), inspetores de disciplina e zeladores, somando assim, quase dois mil novos contratados para a área da Educação. 

De acordo com o prefeito Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, os contratos são válidos até o final de 2024. “Como estamos iniciando um novo mandato, é fundamental que a prefeitura cumpra a lei de responsabilidade fiscal fazendo um novo processo seletivo para dar transparência à administração pública. E ainda mais profissionais irão tomar posse na área da educação e saúde, que vão poder levar o sustento de suas famílias”, exaltou Waguinho ao lado de seu vice Marcelo Canella. 

Novos empregos

Enquanto a tecla do desemprego é bastante clicada no país, com quase 20 milhões de desempregados no Brasil, sendo 45% na região Sudeste, Belford Roxo está saindo na frente gerando novos empregos para a população. “A Saúde e a Educação abriram suas portas para novos funcionários. Sou uma defensora da educação, que é uma das minhas prioridades em Brasília. Por isso, eu e o deputado estadual Márcio Canella estamos lutando para que todos os profissionais da área recebam a vacina contra o coronavírus”, informou a deputada federal Daniela do Waguinho. “Essa é a gestão que mais abriu vagas de trabalho em Belford Roxo. Sempre com projetos que geram empregos e assim levar dias melhores à toda população”, acrescentou Márcio Canella. 

O secretário de Educação, Denis Macedo, garantiu que todos os protocolos de segurança estão sendo seguidos nas aulas presenciais. “Nosso pessoal está capacitado e seguindo todas as medidas de saúde”, resumiu Denis. As primas Gabriela Gomes de Souza, 18 anos, e Marcela Romão Gomes Oliveira, 23, estavam animadas para a assinatura dos contratos como estimuladoras. Elas destacaram a dificuldade em conseguir um trabalho em meio a essa pandemia. “Estou ansiosa para o primeiro dia e trabalhar com as crianças”, resumiu Gabriela. “Quando começou a pandemia, fiquei sem trabalhar. Agora recebi essa oportunidade que vai aumentar a renda da minha casa”, completou Marcela.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.